Nova ‘versão’ do Influenza tem taxa de mortalidade de 40%. Pandemia mundial não está descartada 4203

World Health Organization scientist Dr. Timothy Uyeki

No último dia 18, o cientista e epidemiologista Tiomothy M. Uyeki, responsável pelo Departamento de Influenza do CDC (Centro de Controle de Doenças – EUA) alertou:

“Esse é o vírus número 1 em termos de preocupação. Ele tem o potencial de impactar os seres humanos em proporções catastróficas. Nas primeiras 4 epidemias não houve uma evolução do H7N9, porém isso mudou na 5ª onda de infecções”

fonte: (CDC – Centers for Disease Control and Prevention / september 20th, 2017)

Infecções humanas com uma linhagem asiática do vírus da gripe aviária A (H7N9) (“Asian H7N9”) foram relatadas pela primeira vez na China em março de 2013 […] desde então, a situação só tem se agravado.

A China está enfrentando atualmente sua 5ª epidemia de infecções humanas através do vírus H7N9.

Pesquisa recém publicada na Cell Host & Microbe concluiu que a nova linhagem do H7N9, chamada HPAI, está extremamente patogênica (doentia, insalubre) e se replicando com eficiência em células do trato respiratório humano.

O vírus tem se espalhado com maior rapidez e não responde aos antibióticos conhecidos até então.

Nos 15 primeiros dias outubro deste ano, foram relatados cerca de 1.600 casos de infecções humanas, com um alto índice de letalidade: 40% dos pacientes morreram.

Embora a transmissão entre pessoas ainda seja rara, a velocidade de mutação do vírus tem se mostrado bastante eficiente.

Tiomothy M. Uyeki informou que novos medicamentos serão testados em humanos a partir do início de 2018:

“Temos de fazer isso o mais rápido possível. Esse vírus está se espalhando rapidamente […] começou no leste e sudeste da China, agora se espalhou pelo oeste, nordeste e no centro do país”, disse.


Epidemiologia

A maioria das infecções humanas com o vírus H7N9 ocorreu após a exposição a aves de capoeira ( ave domesticada utilizada na alimentação – na forma de carne ou através de seus ovos.)

Os vírus asiáticos continuam a circular em larga escala na China, país mais populoso do mundo.

A maioria dos pacientes relatados com infecção por vírus H7N9 tiveram doença respiratória grave (exemplo: pneumonia).

Não há evidências relatadas de disseminação entre pessoas […] a maioria das infecções (em cidadãos não chineses) ocorreu em pessoas que viajaram para a China.



Avaliação de risco

Embora o risco para a saúde mundial seja baixo, o potencial de pandemia desse vírus é preocupante.

Os vírus da gripe mudam constantemente e é possível que o H7N9 possa ganhar a capacidade de se espalhar de forma fácil e sustentável entre as pessoas, desencadeando um surto global da doença (ou seja, uma pandemia).

É provável que infecções esporádicas humanas com o vírus asiático H7N9 – associado à exposição de aves – continuem a ocorrer na China.

Existe também a possibilidade de o vírus asiático H7N9 se espalhar para aves de capoeira em países vizinhos e as infecções humanas associadas à exposição aumentarem consideravelmente.

No entanto, desde que não haja evidência de propagação contínua de pessoa para pessoa, a avaliação do risco de saúde pública não mudará substancialmente.



Resposta CDC – EUA

O governo dos EUA disse que apoia a vigilância internacional de vírus da gripe e acompanha todos os novos potenciais de pandemia.

A cada semana, os laboratórios testam espécimes respiratórios humanos para influenza e relatam os resultados para CDC.

Qualquer vírus suspeito de gripe A, incluindo uma linhagem asiática H7N9, detectado em um laboratório de saúde pública é encaminhado para CDC para testes confirmatórios.

O CDC segue esta situação de perto e está coordenando pesquisas com parceiros nacionais e internacionais, além de realizar ações de rotina para combater as ameaças pandêmicas à medida que são identificadas, incluindo o desenvolvimento de vírus vacinais candidatos(CVVs).



publicidade

Most Popular Topics

Editor Picks

error: Content is protected !!